assine

Newsletter

a aa
27 11

Conheça a história de Black, um cachorro guerreiro

Publicado em 27 de Nov de 2017 por Victoria Bassi Comentar

Após ser atropelado e ficar paraplégico, esse peludo encontrou anjos que o ajudaram a continuar sendo brincalhão, carinhoso e feliz

Texto Lygia Haydée | Foto Shutterstock | Adaptação web Victoria Bassi

Black é um cachorro de 9 anos muito especial, sem raça definida, que mesmo paraplégico é amoroso e feliz, daqueles que adoram um carinho. Mas nem sempre foi assim. Seu problema físico é resultado de um atropelamento que sofreu quando tinha apenas 2 anos de idade.

Encontrado em Ribeirão Preto (SP) por um morador de rua, que cuidou como pôde dos seus ferimentos, ele tevede lidar com a perda dos movimentos das patas detrás e do controle para urinar e defecar. Amor não faltava, mas a fome e a falta de tratamento adequado aos poucos deterioraram ainda mais a saúde do resistente peludo.

NOVA CHANCE

Foi aí que outro anjo cruzou seu caminho. Chovia muito e Black tremia de frio, o que chamou a atenção de uma voluntária da ONG Focinhos S/A. Após uma conversa com o então tutor, decidiram que o melhor seria que ela levasse o animal dali.

Diagnosticado com uma lesão na coluna que causou um rompimento na medula espinhal, o mascote demorou bastante para se recuperar, ganhar peso e voltar a confiar em humanos. Todas essas condições o fizeram permanecer um longo período na instituição. Apesar disso, ele manteve a personalidade guerreira e brincalhona, aprendendo a se arrastar e correr de um jeito próprio, principalmente quando farejava comida.

Logo depois, sua vida deu mais uma guinada: a ONG recebeu uma doação de cadeira de rodas, o que foi uma alegria imensa e indescritível para Black, que passou a correr pra lá e pra cá como uma criança que acabara de ganhar o melhor presente de sua vida. Entretanto, sua luta por uma adoção continuava. Foi então que o destino interveio mais uma vez e Iara Lino, uma voluntária da Focinhos S/A, decidiu levar o bicho para casa, para um lar temporário. “Mas a minha família toda se apaixonou e ele acabou virando o nosso mascote”, lembra a publicitária. Conexão instantânea! E sabe o que mais chamou a atenção de sua nova tutora? O fato de Black ser tão grato. “Apesar da condição física, ele sempre foi um cão muito alegre e dengoso. Seu tratamento demorou quase dois anos, e mesmo com muitas sessões de fisioterapia não foi possível recuperar seus movimentos. Hoje ele responde minimamente a estímulos nas patas detrás, mas isso não interfere em sua alegria de viver.”

ROTINA DIFERENTE, MAS FELIZ

Todavia, nem tudo são flores: o peludo precisa de alguns cuidados especiais, visto que não consegue urinar sozinho. Assim, é necessário pressionar sua bexiga para que ele faça xixi pelo menos quatro vezes ao dia. E sua luta continua, porque isso faz com que ele tenha infecções urinárias constantemente, as quais já são tratadas corretamente por seus novos tutores. Quanto às patas, hoje ele não possui nenhuma limitação para se locomover. Quando está sem a cadeira de rodas, se arrasta e chega aonde quer que seja sem nenhum problema. Quer mais? Black ainda ganhou irmãos, uma vez que convive com outros cachorros na mesma casa. “Ele não tem problemas com os outros, a não ser o de querer comer a comida de todo mundo”, conta aos risos a nova dona. O pet é supermimado, dorme na cama com os donos e tem muito amor! E o lado carinhoso, aliás, continua firme e forte. Afinal, agora ele tem tudo que sempre quis e todo cão merece!

Revista Meu Pet Ed. 50

Comente!