assine

Newsletter

a aa
10 11

Conheça a linda história de Perninha, o coelho adotado que usa cadeira de rodas

Publicado em 10 de Nov de 2017 por Victoria Bassi Comentar

Uma lesão medular tirou o movimento das patas traseiras de Perninha. Mas o pet tirou a sorte grande ao ser adotado pela tutora, que providenciou uma cadeira de rodas

Texto Priscila Roque | Foto Divulgação | Adaptação web Victoria Bassi

Perninha foi abandonado dentro de uma caixa na cidade de Canoas, no sul do Brasil. “Ele foi encontrado por um casal, que o levou ao meu local de estágio para ser tratado e encontrar um adotante”, lembra a estudante de veterinária Fernanda Piccoli de Mattos. O animal estava sem poder andar, e logo foi constatada uma lesão medular na coluna lombar por meio de exames. “Eu nunca tinha chegado tão perto de um coelho. Quando peguei o Perninha no colo, e o pessoal comentou o que havia acontecido, decidi adotá-lo para dar continuidade na história dele, mesmo sabendo das dificuldades que poderiam surgir”, explica Fernanda.

Há um bom tempo o coelho vive com a tutora e, nesse período, ela não mediu esforços para tentar reverter o quadro. “Comecei com tratamento medicamentoso-terapêutico, mas sem sucesso. Recorri à fisioterapia e acupuntura, mas não adiantou. Com a falta de movimentação e o crescimento, ele teve atrofia das patas.” Fernanda ainda tem outros dois pets, um cachorro com 6 anos e uma gata com 18. “Sempre tive vontade de ajudar um animal especial, que precisasse da minha dedicação. Acho que consigo ser alguém importante para o Perninha”, emociona-se.

Com o objetivo de oferecer uma vida mais ativa a ele, a dona criou, com o auxílio de um amigo especializado, uma cadeira de rodas. “A cadeira é para ele dar umas voltas, se movimentar. Essa ainda é a primeira. Vamos tentar produzir outra com mais conforto, para uma adaptação melhor. Ele fica pouco tempo por dia nela”, relata. Para Sidney Piesco, veterinário e diretor científico do Instituto Brasileiro de Recursos Avançados (IBRA), “o principal cuidado com o uso da cadeira é não causar lesões na pele do animal. Os coelhos têm a pele sensível e, por isso, a adaptação pode ser mais difícil”, ressalta.

"O Perninha é um grande exemplo de que é possível, sim, viver bem mesmo sem poder pular. Obviamente que cada caso é um caso, mas acredito que tudo vale a pena em troca de uma qualidade de vida para eles. Não desista na primeira tentativa! Tenho a consciência tranquila de que faço tudo o quee stá ao meu alcance. Isso é o mais importante”, finaliza Fernanda.

Revista Meu Pet Ed. 35

Comente!