assine

Newsletter

a aa
06 10

A importância da tosa nos cachorros

Publicado em 06 de Oct de 2017 por Victoria Bassi Comentar

A tosa não é apenas um procedimento estético, ela também proporciona bem-estar ao mascote

Texto Lygia Haydée | Foto Shutterstock | Adaptação web Victoria Bassi


O calor realmente deixa todo mundo mais lento e cansado. Imagine então quando você tem uma capa de pelos por cima de todo o seu corpo. É exatamente isso que acontece com os cachorros. As temperaturas altas deixam o pet mais quieto, fazem ele evitar atividades físicas, comer menos e ficar muito desconfortável. Contudo, como é um procedimento que costuma ser feito no pet shop, a tosa, em momentos de crises financeira, é a primeira coisa a ser cortada na lista de prioridades, mas isso não deveria acontecer! É possível escolher uma tosa que caiba no seu bolso ou até mesmo tosar seu próprio animal!

QUANDO É ESSENCIAL

Muitas raças atuais de cães são originárias de países de clima temperado, como Poodle, Pastor Alemão, Labrador, Golden Retriever, Akita e Chow Chow. Aliás, alguns outros cães são até mesmo de regiões polares, como o Husky Siberiano. E, hoje, eles vivem espalhados pelo mundo, inclusive em regiões tropicais e de clima bem diferente daquele do país de origem. Por isso, o ideal é que eles não fiquem expostos a altas temperaturas. Contudo, a realidade é que é muito difícil controlar esse tipo de situação, a não ser que você deixe o ar-condicionado ligado o dia todo. E isso faz com que o dia a dia do cachorro seja afetado. “Porém, a tosa serve para proporcionar conforto térmico, além de controle de pulgas e carrapatos. Ela ainda evita problemas de pele decorrentes do calor e da umidade, como piodermites e as infecções fúngicas”,esclarece Marcelo Quinzani, veterinário do Hospital Veterinário Pet Care.

E não para por aí. Só quem tem cão em casa sabe o quão mal cheiroso ele pode ficar se não tiver uma higiene regular. A tosa é uma das ferramentas importantes para isso,mantendo a saúde do mascote e evitando problemas de saúde tanto do animal como do seu dono. Por isso, dependendo da pelagem, ela deve ser feita com maior ou menor frequência. Outro cuidado deve ser a escovação, pois previne os nós, remove a pelagem morta, ativa a irrigação sanguínea e a circulação e espalha a gordura natural da pele, deixando os pelos mais brilhantes.

Revista Meu Pet Ed. 47

Comente!