assine

Newsletter

a aa
07 11

Lhasa Apso: os dóceis cães de apartamento

Publicado em 07 de Nov de 2017 por Victoria Bassi Comentar

Com origem no Tibete, os cachorros da raça tem uma personalidade pacata e leal aos donos, além de serem ideais para quem vive em apartamento

Texto Samantha Melo | Foto Shutterstock | Adaptação web Victoria Bassi

Resultado do cruzamento entre o Terrier do Tibete e o Spaniel Tibetano, o Lhasa Apso, por volta de 1500, era propriedade exclusiva dos religiosos e dos nobres e guardava os templos e mosteiros do Tibete. É exatamente daí que surgiu o seu nome: enquanto Lhasa é capital do país, Apso significa sentinela. Até hoje, eles possuem pelo longo e áspero: a pelagem agia como isolante durante o inverno e a queda do pelo sobre os olhos os protegia do vento, poeira e luminosidade.

Além da função de guarda, acreditava-se que esse cão trazia sorte aos tibetanos. Isso porque existia uma crença de que, após a morte, a alma do dono encarnava-se em seu cão de estimação. Naquela época, era impossível obter um Lhasa Apso por dinheiro, ele podia apenas ser presenteado.

Os primeiros Lhasas chegaram à Grã-Bretanha no início de 1920 como presentes do 13º Dalai Lama. Porém, eles foram confundidos com outros cães peludos orientais. Assim, foram rotulados de “Lhasa Terriers”. Mais tarde, se estabeleceu a distinção entre os Apsos e os Terriers Tibetanos. Sua beleza e personalidade dócil fizeram com que a raça se espalhasse pelo mundo e fosse trazida ao Brasil em 1966.

Revista Meu Pet Ed. 23

Comente!