assine

Newsletter

a aa
08 11

Fox Paulistinha um companheiro acelerado

Publicado em 08 de Nov de 2017 por Victoria Bassi Comentar

Chamado oficialmente de Terrier Brasileiro, o pequeno cão reúne características que agradam em cheio a famílias ativas e com crianças, como a personalidade agitada e amorosa

Texto Samantha Melo | Foto Shutterstock | Adaptação web Victoria Bassi

A maioria das raças antigas foi criada, ou seja, pets com habilidades diferentes foram deliberadamente cruzados até surgir um com características ideais para uma finalidade, como a caça. Esse não é o caso do Terrier Brasileiro ou Fox Paulistinha, uma das raças nacionais reconhecidas internacionalmente. Há duas versões que contam a origem do pequeno cão, mas ambas indicam que ele nasceu “sem querer”.

Há quem diga que o Terrier Brasileiro existe porque, no final do século 19, jovens brasileiros que estudavam em universidades europeias retornavam casados e suas esposas traziam consigo cachorros Terrier. Posteriormente, acabaram se misturando ao Pinscher e Chihuahua, nascendo assim uma nova raça. Já outros criadores acreditam que, na época da colonização dos portugueses e holandeses, mascotes como o Jack Russel Terrier e o Fox Terrier habitavam os grandes navios a fim de exterminarem ratos e se misturaram aos cachorros locais.

Independentemente da sua procedência, a verdade é que se tornou um símbolo do nosso país. Ele é muito mais do que um pequeno pet de companhia: é também um ótimo protetor da família, companheiro de exercícios e tem uma inteligência sensitiva enorme.

Revista Meu Pet Ed. 39

Comente!